quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Saudades...

Já lá vão muitos muitos anos. Mas lembro-me como se fosse hoje do dia em que partiste.
Lembro-me do que comi, de onde estive, das coisas que me disseram, lembro-me até da roupa que tinha vestida nesse dia.
Lembro-me de toda a gente esconder de mim o que se estava a passar... Mas eu sabia. Eu senti... Eu juro que senti o momento em que o teu coração parou... Ninguém me disse e eu soube primeiro que todos, assim que ouvi o telefone tocar.
Foi duro. Foi a coisa mais dura e mais dificil que me aconteceu até hoje. Tinha apenas dez anos e tinhamos uma ligação tão forte!!! Eu era apenas uma criança, que queria brincar. Não sabia e nem estava preparada para ligar com perdas assim.
Lembro-me do que chorei e do esforço incrível que os meus primos, também ainda crianças, fizeram para me animar. Lembro-me perfeitamente do jogo que fomos fazer e de eles me deixarem ganhar sempre, só para eu me rir.
Os anos passaram, mas eu continuo a sentir a tua falta. Continuo a ver o pôr-do-sol aos domingos, no sitio do costume, como fazíamos sempre os dois. A diferença é que não estou sentada no teu colo, mas sim no sitio que tu ocupavas. Continuo a sentir o teu cheiro no sofá que tu ocupavas todos os dias, mesmo quando toda a gente diz que já não cheira a ti. Continuo sem esquecer  a paciência que tinhas para brincar comigo. Não dá para esquecer nenhum desses momentos...
Lembro-me também do dia 8 de Dezembro desse mesmo ano. A última vez que te vi... Parecia que estavas a adivinhar.  Pediste-me tantos beijinhos... Tantos, tantos, tantos...
Não queria que tivesses partido tão cedo. Seria tudo tão diferente se ainda estivesses comigo.

Continuo a amar-te e a ter muitas saudades tua, Avô.
Como ninguém imagina...

6 comentários:

*Nós* disse...

É sempre difícil. Mas é as lembranças que os fazem tão grandes =)

JLFT

Rita da Maçaroca disse...

Ás vezes sao precisos desabafos destes para ficarmos bem :)

Como senti cada palavra tua... Ate me arrepiei*
Foi um reviver de anos...

Beijinhos

Luana disse...

Não vou dizer que imagino, vou dizer: como sinto!... como sinto cada palavra que escreveste.
Infelizmente sinto tudo isso... e já passaram tantos anos... e está tudo tão presente... sinto a cada dia... mas não, não consigo falar sobre esta dor... um dia, quem sabe?...:(

Bjinhos

Sofia disse...

:'( também eu tive uma ligação assim com o meu avô.. acredita que compreendo a 110% a tua dor e essa saudade que não morre :'(

(tenho muitas saudades tuas avô)...

Pocahontas na Cidade disse...

Quando li até suspirei...

Não tive direito a esse presente.

Xi-coração

Nana disse...

Como sei bem aquilo que escreveste. Como o sinto!

Perdi a minha avó ainda nem há um mês... E ainda me estou a 'habituar' a viver assim... Sem a ver, sem a ouvir, sem a cheirar, sem a tocar...
Nunca é fácil...
Mas temos de ter força. E continuar...
Um grande bjinho pra ti!